Atividades para imprimir de caligrafia

Todos nós, ou a maioria, se orgulha da forma como a própria escrita é vista no papel. Admirar a própria caligrafia significa observar como toda a nossa construção acadêmica foi assinada ao longo dos anos. Somos hoje o que cultivamos no passado distante e recente, de maneira a moldar a forma como pensamos e, claro, escrevemos. Com isso, desenvolver atividades de caligrafia em sala logo nos primeiros anos da criança se mostra vital. Isso porque a mesma aprende a aprimorar a forma como suas ideias são colocadas no papel. Talvez ela não possa ainda sentir orgulho da própria letra, mas isso não se direciona à ideia em si. É nesse ponto que se estabelece a relação de aperfeiçoamento e crescimento. Se guardássemos nossos cadernos de cada ano escolar, poderíamos notar o quanto nossa caligrafia melhorou com o tempo. Isso se dá por conta das experiências e direcionamentos que tivemos nos anos anteriores. Além de nós mesmos, os professores, pais e a própria sociedade ajudaram a fazer essa construção física de nossas ideias.

Dessa forma, implementar atividades de caligrafia logo cedo permite ao aluno fazer projeções. Ele se sentirá mais livre a fazer e produzir porque sente que é correspondido por ele mesmo visualmente. Se a forma da letra A não está como queria, pode aprender a moldá-la da forma que almeja. Nesse ponto, presenciamos a ideia de construção da identidade. Sem contar que muitas crianças admiram a letra dos próprios professores ao verem suas atividades corrigidas e observadas por eles. Nesse ponto, aqueles pequenos traços se tornam inspirações para que se desenvolvam as suas caligrafias também. As atividades se tornam pluralizadas. Ao mesmo tempo em que aprendem a verem uma letra e ouvirem seu som, sabem como projetá-la no papel. Sendo assim, o uso de atividades de caligrafia em sala deve ser bem escolhido, dinamizado e bastante convidativo. Ainda que se trate de um exercício, o conhecimento adquirido de forma prazerosa é melhor recebido.